Noroeste Informa

Opinião: O Brasil depois do Carnaval

Opinião: O Brasil depois do Carnaval

Reza a lenda que no Brasil o ano só começa mesmo depois do carnaval, então, ao menos teoricamente, o ano começou hoje. Essa é uma meia verdade, já que o brasileiro até trabalha em janeiro, mas tem o hábito de postergar quase tudo de importante para depois da folia.

Em Itaperuna não seria diferente, na realidade esse sentimento é ampliado devido as universidades. Como cidade universitária a vida por essas bandas acostumou-se a regência do período letivo dos alunos. Bem ou mal o fluxo por aqui acompanha em boa medida o vai e vem dos estudantes.

Este seria um ano como outro qualquer não fosse o pequeno detalhe de que 2024 é ano eleitoral e isso, feliz ou infelizmente, muda tudo. Em outubro o Brasil voltará as urnas para escolher prefeitos e vereadores de suas mais de 5 mil cidades. Além disso existem os diversos prazos que devem ser seguidos e a legislação própria do período.

Enquanto os políticos aguardam movimentos de bastidores que podem decretar a fortuna ou desventura de suas futuras candidaturas, as pessoas comuns devem seguir com suas vidas imperturbadas e longe da política até o começo da campanha. É lógico que as notícias e a própria dinâmica do período obrigará o cidadão médio a pensar no assunto um pouco antes, mas nada recorrente.

É por isso mesmo que gostaríamos de propor um exercício de reflexão neste momento, enquanto ainda estamos longe do período eleitoral. Pense sobre o tipo de cidade que você gostaria de viver e reflita se você considera que o seu município está nesse caminho agora. Reflita sobre questões práticas como limpeza urbana, organização do trânsito, sistema de saúde, rede de educação e responda para si mesmo se você está ou não satisfeito com a atual situação dessas áreas. Pense e pense bem! Antes que a campanha o encontre e as paixões pessoais subam a ribalta e lhe impeçam de tomar decisões racionais.

Os brasileiros ficaram acostumados a votar em showmans, ou seja, pessoas que pareçam legais, divertidas e simpáticas. O problema é que pessoas assim não são necessariamente as melhores para fazer gestão da coisa pública. Só que a decepção do povo com sua escolha costuma chegar justamente quando o indivíduo decepcionante já está eleito.

Tente fugir desta infeliz situação durante o pleito deste ano. Deixe de lado as paixões e procure indivíduos que defendam os mesmos valores que os seus e mais importante – que defenda as ideias que se aproximam do que você quer para a cidade que você mora. Tenha cuidado, afinal o preço de errar vai durar pelos próximos 4 anos.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram

Ajude o Noroeste Informa

Chave: bc1qqgzrj7g03xqsc9cvr3n7m0yvrdc0s7wky453ux

Comentários: