Noroeste Informa

A encruzilhada de Nel

A encruzilhada de Nel

Gostaríamos de esclarecer que a matéria tem objetivo meramente analítico, não tendo o interesse em desmerecer ou promover qualquer dos aqui citados.

Desde que Nel resolveu romper com Alfredão cresceu a ideia entre seus correligionários de que ele deveria tentar a cadeira de prefeito em 2024. O vice-prefeito, embora sempre tenha cultivado o hábito de ser cauteloso, tem demonstrado de fato interesse em ocupar o posto de 01 da prefeitura. Contra essas pretensões alguns fatores tem pesado e uma equação não muito simples de resolver se desenha no horizonte. Por um lado o grupo da Oposição que se articula para enfrentar o time ora ocupante da Prefeitura, por outro o time de Alfredão tenta organizar a casa para enfrentar uma eleição bastante difícil, bem no meio o Vice, que pela força das circunstâncias está cada vez mais preso a essa encruzilhada.

A primeira rodovia seria Nel caminhar dentro do bloco que faz oposição a Alfredão. A escolha por este bloco representaria um grito de independência do Vice-Prefeito que construiu toda sua carreira política no time que hoje apoia o prefeito. Contra esse caminho pesa o fato de que o Vice, diferentemente dos demais, ainda não se decidiu em ser 100% oposição e portanto, vez ou outra, acaba deixando escapar que tem laços com a turma do governo.

Um governo de Nel contaria com as presença de Alexandre da Auto Escola, Marcelo Poeys, Ivan Lacerda, Samuel Portela, etc? O que de fato mudaria se o time que governa não mudar por completo? Essas dúvidas fazem com que os que hoje fazem parte da Oposição desconfiem de que Nel na realidade faria um governo igual ao de Alfredão, deixando de fora apenas, quem sabe, Murillo Gouvêa. Pior! É essa justamente a expectativa que quem está na prefeitura e se entusiasma pela figura do Vice possui – a de que a turma acima citada continuaria no governo e por consequência todos os seus subalternos.

Isso significa que a menos que Nel renegue de forma absoluta os atuais membros do Governo Alfredão, jamais conseguiria sequer a chance de ser escolhido como candidato da Oposição. Ainda que renegue, entretanto, terá que apresentar também suas condições de viabilidade para ser escolhido, afinal existem outros nomes ali que seguem trabalhando com sucesso para a cadeira de prefeito em 2024.

O outro caminho seria Nel escolher caminhar junto ao grupo do prefeito Alfredão. Como afirmamos, a carreira política do Vice Prefeito foi construída inteiramente dentro do Partido Progressista, comandado pelo Secretário de Obras Alexandre da Auto-Escola. Antes deste ano o vice nunca havia sequer ensaiado uma independência deste grupo sempre seguindo aquele time onde quer que fosse. Nel inclusive só se tornou vice de Alfredão por um problema de percurso que impediu Alexandre de concorrer a cadeira na época da eleição. Nem por isso o caminho de Nel ali é mais fácil.

O problema é que o Vice rompeu e não satisfeito, por duas vezes publicamente, confirmou o rompimento tanto com o prefeito quanto com o seu filho. Ao romper Nel demonstrou para os governistas que talvez ele não goste muito do grupo que hoje comanda a cidade com o prefeito. A atitude acabou deixando no ar a dúvida de que se ele virar prefeito, pode resolver demitir algum dos medalhões que mandam na cidade. Pior! É exatamente o que as pessoas que hoje cercam Nel e não gostam do grupo de Alfredão esperam que ele faça.

Para tentar sair da situação com o mínimo de dor de cabeça possível Nel tem esperado que o Deputado Estadual Jair Bittencourt lhe dê apoio como candidato a prefeito de uma possível terceira via. O imbróglio é que Jair tem seus próprios interesses e no momento continua aliado a Murillo Gouvêa e Alfredão. Bittencourt também não parece muito interessado em abrir mão de velhos aliados. Isso significa que ainda que Nel seja apoiado por Jair, o preço do apoio será aceitar personalidades do atual governo, como Alexandre da Auto-Escola, dentro de sua campanha e de seu possível governo. Tudo isso e não estamos nem considerando aqui a vontade própria dos medalhões que costumam acompanhar Bittencourt e que podem simplesmente rejeitar o nome do Vice-Prefeito.

Afim de se libertar da dependência do apoio de Jair Bittencourt, Nel também vem tentado um caminho independente das forças já em movimento, embora sem muito sucesso. Recentemente visitou o PMB (Partido da Mulher Brasileira), além de contar com o apoio do Democracia Cristã. Ambos os partidos, entretanto, são muito pequenos e incapazes de sustentar sozinhos uma candidatura a prefeitura de Itaperuna.

Além de todos os fatores que já trabalham contra as pretensões do Vice-Prefeito, o tempo também passou a correr contra ele. Afinal, a construção de uma candidatura majoritária tem prazo para acontecer e se o prazo vence, quem não conseguiu se resolver termina ficando de fora.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram

Ajude o Noroeste Informa

Chave: bc1qqgzrj7g03xqsc9cvr3n7m0yvrdc0s7wky453ux

Comentários: