Noroeste Informa

Opinião: O Decreto de Alfredão é mais grave do que parece!

Opinião: O Decreto de Alfredão é mais grave do que parece!

Na busca por uma luz no fim do túnel o Governo Alfredão tomou nesta quarta-feira (07/06) uma medida que reflete o desespero do Governo diante da necessidade de tampar o rombo criado nas contas públicas. Não pretendo e nem posso entrar na seara da origem deste rombo, visto que seremos processados por falar a verdade (esta é a nossa única barreira por sinal).

Muitos devem olhar para o decreto que enxuga os gastos do município e pensar que é algo maravilhoso e que o prefeito deve receber elogios aos baldes por tal atitude. Eu realmente sou a favor do estado mínimo, mas este decreto é uma ilusão e vou provar a vocês no decorrer deste texto. Vejamos alguns detalhes adiante.

O decreto enxuga diversos gastos do município, principalmente gratificações de servidores e até mesmo do secretariado, do prefeito e seu vice. Os governantes não fizeram isso apenas pela livre e espontânea vontade de estar no mesmo barco que os colaboradores, fizeram isso pois alguém do grupo – que ainda está em pleno domínio de suas faculdades mentais – alertou que se não o fizessem afundariam sua popularidade para além do horizonte de eventos (para abaixo de zero e para um ponto onde não teria mais como recuperá-la). Tal atitude não pode ser louvada pois, se não a fizessem, acelerariam a escavação de sua própria cova (tendo em vista o quanto já estão cavando).

Outro fato que precisamos ter em mente é o município só chegou a este ponto pois Alfredão abriu todas as torneiras em 2021 e 2022. Não é nem correto dizer que isso é fruto de uma má administração, visto que ele sabia muito bem o que estava fazendo (e conseguiu concluir seu objetivo). O rombo foi tão grande que estão tentando tampá-lo desde novembro e ainda estão longe de conseguir pelo visto.

QUAL É O RESULTADO DISSO?

Este era o ponto onde eu queria chegar. Ver o decreto como um fato isolado é um erro, sendo que na realidade ele atinge não apenas quem está empregado na PMI, mas toda a economia de Itaperuna. Cortar 20% da renda das pessoas implica, no melhor dos casos, em uma diminuição de R$800,00 na renda de uma família. Isso afeta diretamente o comércio da cidade pois quase 1.000 estarão com 20% ou mais de sua renda comprometida. Contas não serão pagas, mensalidade de escola estarão atrasadas e as pessoas vão deixar de sair para comer algo fora. Sem contar o aumento no endividamento que tal medida vai gerar.

Eu, como servidor público, realmente espero que em 2024 nossos colegas não se esqueçam do descaso que está sendo este governo. Perto da eleição a vaca gorda virá, não se iludam!

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram

Ajude o Noroeste Informa

Chave: bc1qqgzrj7g03xqsc9cvr3n7m0yvrdc0s7wky453ux

Comentários: